Columna de Castello. La opinión en el periodismo brasileño y el golpe militar de 1964.

  • Ionio Alves da Silva Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Palabras clave: Golpe militar, periodismo, opinión, discurso, argumentación,

Resumen

En este trabajo se analiza la opinión de Carlos Castello Branco, uno de los periodistas más influyentes de la prensa brasileña de su época, frente a los acontecimientos políticosgenerados en los pasillos del poder transmitido por la Columna Castello, el Jornal do Brasil, durante el derrocamiento del gobierno João Goulart por un golpe militar en 1964. Se trata de un estudio de caso que utiliza el análisis argumentativa como aspecto teórico y metodológico que demuestra el argumento en una situación de comunicación, que produce y distribuye sentidos, vinculados a determinados productos culturales.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

BRETON, P. (1999). A argumentação na comunicação. Bauru/SP: EDUSC.

BRETON, P y GAUTHIER, G. (2001). História das teorias da argumentação. Lisboa: Editorial Bizâncio.

CARLOS C. (2010). Disponível em: <http://www.carloscastellobranco.com.br/>. Acesso em: 28 jun. 2010.

CHARAUDEAU, P y MAINGUENEAU, D. (2008). Dicionário de análise de discurso. 2a ed. – São Paulo: Contexto.

CUNHA, T. (2005). Acontecimento e biografia. In: Trajectos, Revista de Comunicação, Cultura e Educação. No 6, Primavera, 2005

__________. (2010). A nova retórica de Perelman. Coleção: Artigos Lusosofia. Covilhã.

Disponível em: < http://www.lusosofia.net/textos/cunha_tito_nova_retorica_perelman.pdf>. Acesso em 01 jul. 2012.

GINZBURG, C. (1989). Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Companhia das Letras.

HABERMANS, J. (1989). Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

MARQUES DE MELO, J. (2003). A opinião no jornalismo brasileiro: gêneros opinativos no jornalismo brasileiro. 3a ed. – Campos do Jordão: Mantiqueira.

MARTINS, F. (2011). Jornalismo político. 2a Ed. – São Paulo: Contexto.

MAZIÈRE, F. (2007). A análise do discurso: história e práticas. São Paulo: Parábola Editorial.

MEGA, A. Disponível em: <http://megaarquivo.com/tag/historiador/>. Acesso em: 14 ago. 2012.

ORLANDI, E. (2010). Análise de discurso: princípios e procedimentos. 9a ed. – Campinas, SP: Pontes Editores.

__________. (2007). As formas do silêncio no movimento dos sentidos. 6a Ed. – Campinas, SP: Editora Unicamp.

__________. (2006). Discurso & Leitura. 7a ed. - São Paulo: Cortez.

PEREIRA, F. (2001). Castelinho: o reinventor do jornalismo político no Brasil. Brasília: Senado Federal, 2001.

__________. (2007). Ex-governador lembra do colega de faculdade. O Tempo, Belo Horizonte, p. A5, 16 dez 2007.

PERELMAN, Ch y OLBRECHTS-TYTECA, L. (2005). Tratado da argumentação: nova retórica. 2a ed. - São Paulo: Martins Fontes.

JOSÉ PINTO, M. (2002). Comunicação & Discurso. 2a ed. – São Paulo: Hacker Editores.

PLANTIN, C. (2008). A argumentação: história, teorias, perspectivas. São Paulo: Parábola Editorial.

SILVA, I A. (2012). A renúncia de Jânio e o movimento pela posse de Goulart: um encontro de Castello e Lucídio. II Encontro Nordeste de História da Mídia. Teresina/PI. Disponível em:

http://www.historiadamidia2012.com.br/anais/resumos/GT1/GT1-Ionio%20Silva.pdf. Acesso: 02 out. 2012.

SODRÉ, M. (2009). A narração do fato: noções para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes.

TOULMIN, S. E. (2006). Os usos do argumento. 2a ed.- São Paulo: Martins Fontes.

VERÓN, E. (2004). Fragmentos de um tecido. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos.

Publicado
2012-12-15